Como lidar com a Ansiedade e o Medo?

por: Sara Rodrigues (Mestre em Psicologia Clínica e da Saúde), 2020

Nos dias de hoje deparamo-nos com uma nova realidade, surgiu uma pandemia, o novo Coronavírus COVID19 e consigo trouxe uma nova forma de interagir e estar no mundo. Estas alterações têm um impacto significativo na nossa vida, na nossa saúde física e sobretudo na mental, pois junto com o COVID19 veio uma panóplia de emoções aos quais não estamos habituados a lidar, não com este grau de intensidade, tais como o medo e a ansiedade.
Manter uma rotina e definir objetivos é crucial para combater o stress e ansiedade.
O facto de estarmos em isolamento pode alterar a nossa mente e organização, desta forma as rotinas permitem organizar-nos e dão uma sensação de controlo e estrutura.
Cuidar de nós, através de uma alimentação saudável, praticar exercício físico, yoga, meditação, mindfulness e atividades de relaxamento. O autocuidado ajuda a limpar e a levitar a mente, o que permite um equilíbrio entre o corpo e a mente.
Ser criativo, explorar novas atividades, o que nos ajuda a sentir-nos bem, ocupados e com sentido para a vida, permite-nos explorar as nossas competências e a conhecermo-nos melhor.
É frustrante, sentirmo-nos desemparados, por isso temos de evitar a ruminação destrutiva, ou seja, evitar alimentar informações e pensamentos negativos e que nos destroem. Desta forma é necessário identificar os pensamentos que nos estão a perturbar e contrapor-lhes factos. Adotar pensamentos realistas e uma atitude positiva (ex.: é possível eu ficar doente, mas se seguir todos os procedimentos recomendados é improvável ser contaminado).
Manter-se informado e atualizado e evitar fake news, cortar estas correntes, ainda mais quando não existe uma certeza da nossa parte. Consultar as informações, notícias uma a duas vezes por dia e apenas em entidades competentes e fidedignas, como a Organização Mundial da Saúde (OMS), Direção Geral da Saúde (DGS), Serviço Nacional da Saúde (SNS), entre outras. Evitar focar apenas na informação negativa, procurar dar ênfase às notícias boas, tais como casos recuperados e a solidariedade manifestada nestas situações.
Manter contacto com os familiares e amigos através da tecnologia (videochamada, telefonema), o que minimiza o sentimento de solidão, permite-nos descomprimir, não nos sentirmos sozinhos e dá-nos a sensação de apoio.

E com crianças?

Estar isolado em família com crianças pode ser um grande desafio, é possível e normal que os pais/ cuidadores se sintam mais ansiosos, preocupados e um pouco perdidos para gerir esta situação. Desta forma, é necessário aplicar estratégias para ajudar a gerir o dia-a-dia em isolamento, para além de uma boa dose de paciência, compreensão, flexibilidade e criatividade.
  • Começar por explicar de forma clara e com linguagem adequada à criança em questão o que é o vírus e como se transmite. Repetir quantas vezes for necessário até que fique claro que a criança entendeu e possa exprimir os seus sentimentos e receios.
  • Organizar a rotina diária, através de um plano familiar diário ou semanal de forma que corresponda às necessidades de todos, equilibrando os momentos de trabalho e lazer, de interação e autonomia, e tempo para todos e cada um individualmente.
  • O isolamento é uma oportunidade de passarmos mais tempo em família, para fazermos atividades para as quais não costumamos ter tempo e para estarmos mais próximos das crianças e adolescentes.